Publicidade Venus Creations

 

 

Versão Original
(Abre numa nova janela)

English Version

Version Française

 

O QUE SE PASSA NA SIC

QUINTA FEIRA 23 DE AGOSTO DE 2018  

Liderança da SIC no contrato de Cristina Ferreira

O que leva um canal em dificuldades, como a SIC, a roubar a maior estrela à concorrência, a TVI, num contrato milionário? E porque é que a maior estrela da informação do grupo Balsemão, Miguel Sousa Tavares, faz o caminho inverso? O mercado dos canais abertos, cada vez mais magro, alarga o cinto dos milhões para tentar espevitar o negócio - pelo menos no curto prazo Carla Bernardino.

Os canais generalistas estão, há anos, a perder influência - e, em Agosto, os resultados indicam que o número de portugueses que vê Cabo e outros canais já suplanta o somatório das quatro estações generalistas: RTP1, RTP2, SIC e TVI. As novas plataformas de conteúdos como a Netflix e os usos diversificados do aparelho de TV multiplicam-se. As redes sociais entram no jogo. Promete-se, aliás, a chegada de mais distribuidores de conteúdos pagos para breve - nomeadamente a HBO. Esta é a espiral que denuncia que a televisão está a mudar. E à velocidade da luz.

Mas, num universo quase paralelo e distante da realidade de dispersão dos públicos, SIC e TVI, com audiências em queda, estão num verdadeiro verão quente, que acaba de aquecer ainda mais com a época de transferências televisivas. Cristina Ferreira vai assumir as manhãs da SIC, em janeiro, por um valor que andará pelos 80 mil euros por mês - montante não confirmado pela Impresa ou por Cristina, futura consultora de Entretenimento na estação. O valor deverá contemplar uma margem variável para outros conteúdos que apresente, e promoções. Miguel Sousa Tavares já está a caminho de Queluz de Baixo, com a promessa de, garante fonte oficial, "começar a trabalhar já na rentrée, em setembro, em formato a designar". Há ainda o desporto: os comentadores de Trio d'Ataque, da RTP3, João Gobern e Miguel Guedes estão a ser assediados pela TVI, para um novo programa de desporto.

As mexidas já noticiadas obrigaram os responsáveis das emissoras, RTP incluída, a terem já marcado reuniões de emergência com alguns dos seus principais rostos, não vá a dança das cadeiras continuar. O que se passa, então, com os canais privados nacionais que abrem os cordões à bolsa no meio da maior crise de sempre?

"Investimento não é custo", reage Luís Marques, antigo diretor-geral da SIC e ex-administrador da Impresa, que considera que o dinheiro de que se fala poderá "trazer retorno", bastando, para tal, que a estação "saiba tirar proveito das redes sociais e de uma pessoa com tamanha influência." Mas, lá está, isso implica uma mudança no negócio: é preciso saber como encontrar "um novo modelo de negócio à volta da Cristina, para lá da TV, é preciso pensar todo o universo de media e incluir todos os componentes". Até porque os fãs que Cristina tem nas redes sociais - 752 mil seguidores no Instagram, e um milhão e 700 mil fãs no facebook - não se traduzem imediatamente em negócio para o canal em que a "influenciadora" aparece.

É por isso, defende o economista dos media, Luis Oliveira Martins, que "a contratação de Cristina é uma aposta de risco". O professor da Universidade Nova de Lisboa diz que o caminho escolhido pelo grupo de Balsemão - que, aliás, viu as ações em bolsa a subir no dia seguinte ao anúncio -, é "um movimento estratégico em que a Impresa passa a ser um grupo de TV e outros meios e cada vez menos uma empresa de media tradicional." Entretenimento em vez de informação - algo que está de acordo com os passos recentes de alienação de grande parte dos títulos de imprensa - com a venda das revistas Visão e outras, à Trust in News. E, concorda o analista, "resta saber como é que esta vai conseguir rentabilizar economicamente a contratação" milionária. Até porque tudo isto acontece no cenário em que a tv, como a conhecemos, está "ela própria, em transformação e crise. Estamos numa altura em que o fenómeno da televisão está a transformar-se, e os jovens não veem televisão."

 

Clique aqui para ler mais notícias

Contactos - Política de Privacidade - Termos de Utilização
© Venus Creations. Todos os Direitos Reservados.